Laticínios Holandês

Você sabia que o consumo do leite beneficia a produção e o comércio da sua região

Ao fazer compras no mercado perto de sua casa, saiba que você pode estar apoiando os produtores locais e a agricultura familiar.  Isso porque as pequenas propriedades leiteiras são responsáveis pelo abastecimento de quase 90% da produção de leite em Santa Catarina, de acordo com a Associação Brasileira de Criadores (ABC).

O leite é um dos principais produtos da agropecuária de Santa Catarina e envolve mais de 70 mil famílias na atividade, gerando cerca de oito mil empregos diretos. Ele representa o terceiro maior faturamento da agropecuária catarinense, com receitas de R$ 3,72 bilhões em 2019.

Portanto, cada copo de leite que você consome contribui com empregos, renda e vitalidade para a comunidade dos agricultores. Isso porque os produtores e empresas de laticínios criam oportunidades de emprego, compram produtos e serviços  e contribuem para as receitas fiscais locais.

O Estado é atualmente o quarto maior produtor de leite do País e registra crescimento recorde na produção. Em 21 anos, entre 1996 e 2017, Santa Catarina ampliou em 223,5% a produção de leite, segundo levantamento do Centro de Socioeconomia e Planejamento Agrícola (Epagri/Cepa).

Neste artigo, vamos abordar a importância social e econômica da produção de leite para as comunidades locais.

Agricultura familiar garante nutrição e estimula a economia 

O leite é um dos alimentos mais importantes do mundo. Todos os dias, bilhões de pessoas consomem leite no mundo, nas suas mais diversas formas. Ele apresenta importância econômica como fonte de renda e sobrevivência para grande parte da população mundial, além de ser uma fonte vital de nutrição.  

Portanto, ao comprar o seu leite no mercado local, saiba que isso é bom não apenas para a sua família, mas também para as comunidades ao seu redor. Afinal, o leite é uma grande fonte de emprego e renda para muitas famílias, pois esse alimento é produzido principalmente por pequenos produtores da agricultura familiar.  

De acordo com a Lei 11.326, para ser classificado como agricultura familiar o estabelecimento deve ser de pequeno porte (até 4 módulos fiscais); ter metade da força de trabalho familiar; atividade agrícola no estabelecimento deve compor, no mínimo, metade da renda familiar; e ter gestão estritamente familiar.

De acordo com o Censo Agropecuário (2017), do IBGE, o Brasil possui cerca de 1,2 milhão de propriedades rurais que produzem leite, das quais 955 mil são classificadas como de Agricultura Familiar. Dentre elas, 81% contemplam áreas entre 5 hectares e 100 hectares, respondendo por 89% de toda a produção de leite oriunda da agricultura familiar.

O leite produzido pelo Laticínios Holandês é todo fornecido por pequenos produtores de Santa Catarina. Estimulando a agricultura familiar, nós também fomentamos a economia local e garantimos a qualidade no acompanhamento do manejo do gado.

Além de ser um trabalho de responsabilidade social, que ajuda a agricultura familiar da região, trata-se também de uma garantia do bem-estar dos animais e, portanto, da qualidade do produto. Afinal, a mão de obra da agricultura familiar é muito mais dedicada e humanizada, pois há uma relação de companheirismo entre homens e animais. Dessa maneira, as vacas não sofrem estresse, o que poderia afetar a saúde dos animais e, consequentemente, a qualidade do leite que tomamos.

Você gostou desse assunto? Quer saber mais sobre a importância econômica e social da produção de leite? Veja aqui.

Deixe um comentário

Top
h
h

Sed ut perspiciatis unde omnis iste natus error sit voluptat accusantium doloremque laudantium. Sed ut

Follow Us Now